Drenagem de Terrenos em Pequenas Propriedades Rurais

O Que É Drenagem do Solo

Drenagem é o ato de remover a água artificialmente de solos encharcados, através de  fossos, canais, túneis, tubos ou valas, sendo ainda possível o uso de motores como apoio à drenagem do terreno. Os sistemas de drenagem tem por finalidade escoar as águas pluviais e evitar enchentes, a fim de tornar o solo mais aproveitável ou deixá-lo em condições de desenvolvimento adequado ao cultivo, aumentando assim a produção e consequentemente os lucros do produtor.

A drenagem na agricultura está relacionada à quantidade de oxigênio presente  no solo, uma vez que a falta de oxigênio diminui a respiração das raízes, aumenta a tolerância no transporte de água e nutrientes para as plantas e aplaca a formação de compostos tóxicos. Portanto, é uma importante técnica para a ocupação de terras inexploradas e também a recuperação de outras prejudicadas por mau uso.

A Drenagem na Agricultura: Superficial e Subterrânea

No método de drenagem superficial, a água é removida da superfície do solo através de uma rede de canais abertos no terreno. Em terrenos planos, o principal fator a ser levado em conta é a rapidez da operação, já que, em áreas inclinadas, o problema é a interceptação do curso da água e eliminação do excesso sem causar erosão. Além disso, a drenagem superficial do solo depende de uma sistematização do terreno, pois a água se acumula em depressões e partes irregulares do terreno. Essa sistematização deve proporcionar um ambiente favorável ao escoamento da água da chuva, sem causar erosão.

Projeto de Vala para Drenagem em Pequenas Propriedades Rurais

Projeto de Vala para Drenagem em Pequenas Propriedades Rurais

As causas diretas dos problemas de drenagem superficial são precipitação excessiva, formação de cursos d’água e enchentes, as quais causam um acúmulo superficial devido à deficiência de drenagem do terreno, camadas compactadas e microtopografia irregular.

Há ainda algumas desvantagens no uso de drenos abertos para a drenagem na agricultura, apesar de apresentar uma velocidade de escoamento maior:

  • Perda de área na sua abertura o que, em solos de alto valor econômico e com culturas intensivas, tem grande importância;
  • Dificulta o trabalho de máquinas – manejo do solo;
  • Custo do espalhamento do material, quando não apropriado para ser espalhado;
  • Alto custo de manutenção devido ao crescimento de ervas daninhas terrestres em seus taludes e aquáticas em seu leito.

As primeiras referências sobre drenagem subterrânea datam o ano 2 AC, na Roma antiga, onde era feita a abertura de valas posteriormente preenchidas com cascalho. O cascalho servia como meio coletor de água do solo e condutor desta para fora da área drenada. A próxima referência data o ano de 1620, onde, pela primeira vez, na França, foi feita drenagem subterrânea através de tubos de barro, sendo retomada a prática na Inglaterra em 1810.

A drenagem subterrânea tem como finalidade propiciar às raízes das plantas condições favoráveis de aeração, umidade e balanço de sais, portanto está intrinsecamente relacionada à drenagem na agricultura.

Em regiões de umidade alta e muito alta, com precipitações médias anuais maiores que 1.000 mm a drenagem subterrânea visa evitar o encharcamento do solo por período de tempo prolongado que venha a prejudicar o rendimento econômico das plantas. Em regiões semi-áridas a drenagem subterrânea é utilizada para evitar o encharcamento e também a salinização de solos irrigados.

Ainda é importante lembrar que tanto para a drenagem superficial como para a drenagem subterrânea, a existência de um ponto de descarga próximo à área a ser drenada é de suma importância, podendo a distância e as condições de acesso a esse ponto serem fatores de inviabilização a implantação do sistema de drenagem subterrânea de determinada área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>