Pragas e Doenças no Tomateiro: Cultivo do Tomate sem Bactérias

O Controle das Principais Pragas e Doenças do Cultivo de Tomate

Existem várias pragas e doenças do tomateiro que agem afetando a planta e gerando considerável queda na qualidade e na produtividade do produto. O discernimento e sabedoria da sintomatologia, da etiologia, e dos métodos gerais de controle torna possível a identificação precoce e o cuidado preventivo das principais doenças na cultura do tomateiro. Para isso, é recomendado que se façam vistorias freqüentes na plantação de tomate, buscando sempre identificar as anomalias – como crescimento deficiente, murcha de frutos e plantas, manchas e mofos.

Doenças do Tomateiro: Mancha-bacteriana (Xanthomonas campestris pv. vesicatoria)

Esta doença do tomate occore mais em regiões com temperaturas mais altas (20 a 30 °C). Seus sintomas foliares são muito semelhantes aos da pinta-bacteriana (Figura 3). Entrentanto, nessa doença do tomateiro as lesões nos frutos, são maiores, mais claras e mais profundas que as da pinta-bacteriana (Figura 4). O ataque da bactéria também provoca queda de flores quando ocorre por na época do florescimento.

Lesões Grandes nos Tomates e Queima Das Folhas: Mancha-Bacteriana

Lesões Grandes nos Tomates e Queima Das Folhas: Mancha-Bacteriana

Doenças do Tomateiro: Cancro-bacteriano (Clavibacter michiganensis subsp. michiganensis)

Em função do menor manuseio, essa doença certamente possui baixa frequência no cultivo de tomate rasteiro, quando comparada à frequência da mesma no tomateiro envarado. Os sintomas de infecção sistêmica podem ser percebidos pela murcha parcial ou total das plantas e a descoloração vascular, gerando a queima dos bordos dos folíolos. Já a infecção localizada é marcada por pequenos cancros cor de palha (Figura 1), facilmente observáveis nos pedúnculos, e manchas do tipo olho-de-perdiz nos frutos do tomateiro (Figura 2).

Doenças do Tomateiro: Murcha-bacteriana (Ralstonia solanacearum)

Associada à alta temperatura aliada a solos muito encharcados, esta doença é mais problemática à cultura do tomateiro no verão e em regiões de mais quentes. A bactéria causadora da murcha bacteriana pode permanecer por vários anos no solo. Quando afetada pela bactéria, ocorre a murcha do tomateiro (Figura 5), de cima para baixo, a partir do início do período de floração, entretando as folhas se mantêm verdes. Já a área inferior do caule passa a ficar amarronzada e ocorre a exsudação de um pus bacteriano quadno se realiza o “teste-do-copo”. O Teste do Copo consiste em colocar uma porção do caule da planta suspeita dentro de um copo com água: caso a planta esteja realmente sendoa fetada pela doneça, observa-se a exsudação de um pus bacteriano na água do copo.

Tomateiros Murchos, sintoma de murcha-bacteriana: Praga do Tomate

Tomateiros Murchos, sintoma de murcha-bacteriana: Praga do Tomate

Doenças do Tomateiro: Pinta-bacteriana (Pseudomonas syringae pv. tomato)

Também chamada de mancha-bacteriana pequena ou pústula-bacteriana, é essa doença é muito freqüente em condições de temperatura mais amenas (18 a 24 °C) e elevada umidade. O ataque acontece em toda a parte aérea do tomateiro. Primeiro ela é observada nas folhas mais baixeiras, com o formato de pequenas manchas necróticas de cor marrom, usualmente circundadas por um halo amarelo. Os sintomas na plantação de tomate são mais observáveis nos frutos, onde ocorre a formação de pontuações negras, superficiais, que podem ser aretiradas com a unha (Figura 4). Quando o ataque da bactéria acontece durante a floração pode ocorrer a intensa queda de flores do tomateiro.

Pintas e Manchas Bacterianas no Tomate: Doença do Tomateiro

Pintas e Manchas Bacterianas no Tomate: Doença do Tomateiro

Doenças no Tomateiro: Talo-oco e podridão mole dos frutos (Erwinia spp.)

Essas doenças do cultivo de tomate são causadas principalmente por bactérias das espécies Erwinia carotovora subsp. Carotovora e por E. chrysanthemi. Esta última última acontece com maior frequência em regiões de clima quente. Essas bactérias causam aumento nos ataques de podridão em tomates (Figura 6) e penetram pelos ferimentos do fruto, daí consiste a importância de manter o controle de pragas e insetos, que provocam furos nos frutos do tomate. A doença pode se tornar um sério problema de importância econômica à cultivo de tomate, principalmente em épocas de temperatura e umidade elevadas, como o período de chuvas de verão, por exemplo.

Tomates Podres, Atacados por Bactérias

Tomates Podres, Atacados por Bactérias: Mais uma Doença do Tomate

Controle de Pragas e Doenças no Cultivo de Tomate

O controle de pragas e doenças bacterianas pode ser realizado por meio de práticas culturais simples a serem realizadas na plantação do tomate como as citadas na Tabela 1, aliando-se, sempre que possível, a utilização de variedades resistentes.

Tabela 1. Principais medidas de controle de doenças bacterianas em tomateiro.
Recomendações Doenças
Pinta-bacteriana Mancha-bacteriana Cancro-bacteriano Murcha-bacteriana Talo-oco e podridão de frutos
1) Plantar sementes de boa qualidade e/ou tratar previamente as sementes ++ ++ ++ - -
2) Plantar cultivares resistentes ++ + + + -
3) Não plantar próximo a lavouras velhas de tomate ++ ++ ++ + +
4) Evitar excesso de nitrogênio (usar adubação equilibrada) - - + + ++
5) Evitar ferimentos nas plantas (mecânicos, insetos) - - + + ++
6) Reduzir o volume de água e/ou melhorar a drenagem do terreno ++ ++ ++ ++ ++
7) Pulverizar com fungicidas cúpricos ou antibióticos + + + - +
8) Eliminar plantas doentes - - - + -
9) Fazer rotação de cultura + + + ++ +

++ = muito eficiente

+ = pouco eficiente

- = sem eficiência ou eficiência muito baixa

Ofertas Relacionadas

Imobiliária Online
Imobiliária Online
Mais info»
R$ 35,00 mensal
Empresa WP Soft - Sistemas Online  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>